8 de dez de 2012

Anistia Internacional e Alexandre Anderson


Alexandre Anderson e eu na audiência pública

Conheço pessoalmente o pescador Alexandre Anderson e realizamos na Câmara uma audiência pública, dia 1º de agosto, para discutir a situação da pesca artesanal no município e no estado do Rio de Janeiro. Foi através da Comissão Especial que eu presidi. Conseguimos juntar quinhentas pessoas no plenário da Casa, algo difícil de acontecer ali. Fico feliz que a Anistia Internacional tenha incluído o Alexandre no relatório que lança e divulga em todo o mundo. Procurei dar visibilidade à luta dos pescadores da Associação de Homens e Mulheres do Mar (Ahomar) e o relatório final da Comissão Especial seguirá para o Ministério Público Estadual.
Li a reportagem de Caio Barbosa que fala sobre a inclusão de Alexandre no relatório da Anistia no jornal O Dia de hoje. Alexandre, assim como dezenas de outros latino-americanos, é citado como pessoa que corre risco de morte porque luta pelos direitos humanos. No caso dele, alega que seis pescadores foram mortos nos últimos dez anos  porque se opuseram às ações das empresas que se instalaram às margens da Baía de Guanabara.
A Anistia, inclusive, marcou para a noite de hoje, 8 de dezembro, ato de apoio a Alexandre na Praia Vermelha, com a campanha “Escreva por seus Direitos”, para incentivar a população a enviar cartas às autoridades solicitando providências. Cada um de nós deve fazer a sua parte. Eu, como parlamentar da cidade do Rio, fiz a minha, a Anistia está fazendo a dela. Espero que, em breve, Alexandre e sua família possam ter uma vida normal, sem medos, novamente em Magé, onde fica a sede da Ahomar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário