23 de nov de 2012

Leblon 1x0 Madureira


   Uma coisa que sempre me incomodou é o tratamento dispensado aos moradores de diferentes bairros da cidade. A gente reclama, exige, e muitas vezes somos tratados como românticos ou idealistas, mas é flagrante o abismo entre a Zona Sul e o subúrbio. Eu e a torcida do meu Flamengo sabemos disso há muito tempo, mas o Extra só descobriu na edição de hoje.


   No Leblon, as obras da Linha 4 do metrô contam com tapumes decorados, quiosques de informação e até um plano de ajuda financeira a comerciantes que vierem a enfrentar dificuldades. A circulação de vans será proibida e o canteiro de obras é separado do trânsito de pedestres. Tudo muito limpo e arrumadinho.
   Já Madureira sofre com a poeira, buracos, lama e falta de proteção para os pedestres nas obras da Transcarioca. A circulação de vans e kombis está liberada, com o agravante de que elas ainda contam com aqueles avisos sonoros indicando o itinerário. Máquinas e entulhos estão espalhados pela Av. Ministro Edgard Romero.


   Parece que o Rio acaba no Túnel Rebouças. A pergunta é simples e, talvez por isso, difícil de ser respondida: por que é assim? Por que tem que ser assim? Não concordo com isso, e acredito que a grande maioria da população também não. Se de fato queremos acabar com o estigma de cidade partida, todos os cidadãos deveriam ser tratados da mesma forma. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário