6 de ago de 2012

Ecos do debate


Muita gente não soube, mas na última quinta-feira, 2 de agosto, aconteceu o primeiro debate entre os candidatos a prefeito, na TV Bandeirantes. A avaliação geral é de que o encontro foi morno, marcado pela troca de gentilezas entre a maioria dos prefeitáveis. Destoando do clima amistoso, apenas a ofensiva de Marcelo Freixo (PSOL) a Eduardo Paes (PMDB).

O que Paes deseja é que não haja campanha mesmo. O candidato do PSOL sabia disso e aproveitou todas as oportunidades que teve para questionar os caminhos da atual gestão. O prefeito quase foi a nocaute quando disse ter orgulho da educação no município, afirmação que é motivo de chacota até agora nas redes sociais.

Rodrigo Maia não se mostrou uma opção confiável. Sabemos que o corpo fala, e os gestos de Maia demonstravam nervosismo e desconforto, talvez com a falta de propostas viáveis e convincentes. Em vários momentos disse que o candidato do PSOL tinha razão. Na internet, eleitores faziam graça, afirmando que o candidato do DEM apoia Freixo.

Otávio Leite perdeu poder de fogo com a polarização entre Freixo e Paes, mas tentou trazer propostas, como um plebiscito para decidir se a Perimetral deve ou não ser demolida, além da implantação do PIB verde no município, projeto de lei de minha autoria que já tramita na Câmara do Rio.

Salvo alguns percalços, nossa candidata, Aspásia Camargo, mostrou que existe um novo caminho para a cidade, com sustentabilidade e geração de empregos mais qualificados, com incentivos para instalação de empresas de tecnologia. Entre outras propostas, a regularização fundiária, uma de suas bandeiras de campanha.

De maneira geral, creio que as propostas ainda precisam ser encorpadas, sob o risco de os candidatos parecerem meros vendedores de ilusões. O próprio Eduardo Paes, em áudio vazado e captado, disse que o encontro “foi chatíssimo” e que “deu vontade de dormir”. E tudo o que ele quer é que não haja campanha alguma. Para isso ele gasta milhões em publicidade. 

Aos outros aspirantes ao cargo, fica o recado: terão que ser muito, mas muito convincentes para fazer o eleitor mudar de ideia. Por fim, há que se registrar a baixíssima audiência (um ponto, segundo o Ibope). Obviamente, isso quer dizer alguma coisa. Esperamos sinceramente que, nem que seja pelo espírito democrático, haja mais debates. Quem sabe assim o interesse da população aumenta...

Dr. Edison da Creatinina - PV 43000

Nenhum comentário:

Postar um comentário