11 de mai de 2012

Hospital Federal de Ipanema não será estadualizado. Uma vitória da sociedade

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, cede à pressão de servidores e políticos e recua na decisão de estadualizar o Hospital Federal de Ipanema.
 
Em assembleia realizada na manhã de hoje, 11 de maio, onde estavam presentes o vereador Dr. Edison da Creatinina, sindicalistas do Sindsprev e diretores e funcionários do Hospital, foi comunicado que o ministro voltaria atrás na decisão de ceder o Hospital de Ipanema ao governo do estado do Rio de Janeiro para transformá-lo em um hospital de excelência, especializado em transplantes.
Representantes do Hospital ainda querem que o ministro assine um termo de compromisso onde deixe claro a não intenção da estadualização do hospital.

Entenda o caso: 

Recentemente, o secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, juntamente com o governador do Rio, Sérgio Cabral, enviaram uma solicitação formal ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, de repasse do Hospital Federal de Ipanema para o governo estadual, com a intenção de transformá-lo em uma unidade de excelência em transplantes para todo o estado que seria entregue para uma O.S. ligada ao Hospital Sírio-Libanês de São Paulo, que faria sua gestão.  

Duas manifestações, ocorridas nos dias 2 e 7 de maio, que provocaram o fechamento das ruas do entorno do hospital, juntamente com o apoio de vereadores e de deputados federais e estaduais, além da pressão exercida pelo sindicatos representantes da classe médica, foram ações fundamentais, que provocaram uma nova reflexão por parte do ministro Padilha, que recuou na sua decisão e assumiu o compromisso de não retirar da instância federal a administração desse importante centro de especialização de cirurgias de alta complexidade.

Para o vereador Dr. Edison da Creatinina, a cena tomou outro rumo por conta da pressão social e política exercida por parlamentares e pela sociedade, que interferiu decisivamente na decisão do ministro, que, certamente, fará uma opção mais adequada na escolha de um novo centro de transplante para a cidade do Rio de Janeiro, que precisa e muito de um centro dessa natureza.
"O Rio precisa melhorar, e quem sabe até superar, as estatísticas de transplante já alcançadas por cidades como São Paulo e Ceará e se transformar em referência para o Brasil", afirmou o vereador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário