7 de dez de 2011

Alceo Magnanini recebe título de Carioca Honorário

O engenheiro agrônomo, ambientalista, naturalista e escritor, professor Alceo Magnanini, recebeu na manhã de quarta-feira, 7 de dezembro, o título de Cidadão Honorário da Cidade do Rio de Janeiro, concedido pelo Vereador Dr. Edison da Creatinina, no Plenário da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Paulistano, nascido em 1925, Alceo Magnanini reside no Rio de Janeiro desde 1935.

O professor Alceo é um dos mais respeitados especialistas em Ecologia e Conservação da Natureza no país e fora, e também um dos ambientalistas mais contundentes nas críticas ao novo Código Florestal, em tramitação atualmente no Congresso Nacional, por ele já denominado de “Código Agrícola”. Uma de suas maiores contribuições para o Brasil foi ter feito a revisão do Código Florestal de 1935 em 1965, há 46 anos, uma legislação pioneira na proteção dos recursos naturais do país, que reconhece a supremacia do interesse público sobre o direito privado, definindo que as florestas são bens de interesse comum a toda a sociedade, não apenas de quem detém a propriedade onde elas estão.

Aos 86 anos, tem 66 dedicados ao serviço público federal e estadual, ocupando, entre outros cargos, os de naturalista do Museu Nacional, no Rio, naturalista-pesquisador em Botânica no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, geógrafo do quadro permanente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, IBGE, e chefe de pesquisas do Conselho Nacional de Pesquisas, CNPq. É autor (ou coautor) em mais de 170 obras (entre livros e artigos), versando sobre Ecologia, conservação da natureza, florestas, solos, flora, fauna, planejamento de ocupação de áreas, parques nacionais, reservas biológicas, áreas de proteção ambiental, desde 1952. Das inúmeras homenagens e prêmios que recebeu desde 1947, dentre as mais recentes estão o prêmio Crea–RJ de Meio Ambiente, desse conselho regional, em 2010, e a medalha de prata Major Manoel Gomes Archer, do Ministério do Meio Ambiente e ICMBio, em 2011.

Atualmente é conselheiro representante da comunidade científica da região sudeste no Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, membro ilustre do Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica no Rio de Janeiro e assessor da Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Instituto Estadual do Ambiente, Inea, e da Secretaria de Estado do Ambiente, SEA. 

Em sua homenagem, fizeram depoimentos a Vice-presidente do Inea, Denise Rambaldi, e o Diretor de Biodiversidade e Áreas protegidas, André Ilha.



Nenhum comentário:

Postar um comentário