21 de jun de 2011

Audioteca Sal e Luz para deficientes visuais pede SOCORRO!!!!

Nobres colegas,

Na semana que passou, recebi um e-mail com os seguintes dizeres:

“em função da não renovação da parceria da Audioteca Sal e Luz com a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos do Governo do Estado do Rio de Janeiro e do desinteresse por parte dos governantes, no dia 30 de junho de 2011, a AUDIOTECA SAL & LUZ ESTARÁ ENCERRANDO SUAS ATIVIDADES”.






Creio que muitos dos senhores já devem ter visto uma mensagem semelhante a esta circulando na Internet, nos últimos seis meses. Agora, porém, trata-se de um apelo desesperado, e é certamente o momento de entrarmos definitivamente em campo para impedir um fato quase consumado.

Essa instituição atende a todo o Brasil há 25 anos, produzindo e emprestando livros gravados para cegos ou portadores de deficiência visual. Possui mais de 1.700 associados e um acervo de mais de 2.700 títulos, entre didáticos, profissionalizantes e literatura.

Os empréstimos dos audiolivros são feitos de forma totalmente gratuita, basta que o interessado se associe e pague uma pequena contribuição anual ou, no caso de impossibilidade, obtenha até isenção dessa contribuição.

Trata-se de um exemplo real que vem dando certo. Um modelo daquilo que costumamos propagar como correto em termos de inclusão social está, simplesmente, prestes a ser interrompido.

No final de 2010, uma parceria com o Governo do Estado, que durou dois anos, chegou ao fim. Nesse tempo, a Audioteca já havia quase triplicado o número de associados, graças ao convênio, inaugurando cinco núcleos em outros municípios – Cabo Frio, Volta Redonda, Nova Friburgo, Campos dos Goytacazes e Nova Iguaçu.


O apoio possibilitou que esses núcleos se instalassem dentro de bibliotecas e centros de tratamento para portadores de deficiência, que equipes fossem treinadas e equipamentos fossem adquiridos. Sem a manutenção do aporte de recursos não haverá mais como remunerar esse pessoal para dar continuidade ao belo trabalho sem custo para os usuários.

Desde janeiro deste ano, vários meses já sem o aporte, a Audioteca sobreviveu à custa de doações voluntárias diversas, vinda de particulares, e ainda com o trabalho dos chamados ledores voluntários.

Mesmo com toda a divulgação sobre os problemas que vem enfrentando a Audioteca pelo término do convênio, feita graças ao grande apoio da mídia, e pelas redes sociais, já que muita gente se interessou pela causa, o nosso Governo não deu sinal de ter se sensibilizado, pois a posição mantida foi de que não há interesse em renovar o apoio por parte de sua Secretaria.

Até o próximo dia 30 de junho, a equipe da Audioteca estará atendendo e informando sobre o encerramento de suas atividades pelo seu próprio telefone, cujo número é 2233-8007, ou no seu endereço à Rua 1° de Março, 125, sala 701, Centro da Cidade. Existe uma conta bancária para as contribuições. Depois, o único meio de fazer contato com eles será pelo e-mail audioteca@audioteca.org.br

Fico me perguntando se o Projeto da Audioteca não poderia se encaixar nos Projetos Especiais da Secretaria Estadual de Cultura e, ainda, se este não deveria receber total apoio de nosso governador que se apresenta como comprometido com políticas inclusivas. Faço nesta tribuna este singelo pedido de quem, mesmo antes de estar na Comissão Permanente dos Direitos da Pessoa com Deficiência, já se mobilizava em prol desses direitos. Governador mantenha o apoio à Audioteca Sal e Luz!

Queremos que o Rio de Janeiro seja sal, pois, como se diz: “somos sal quando transmitimos esse dom do conhecimento e da verdade para outros, dando sabor e significado à vida que nos cerca.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário