29 de out de 2012

Campanha pela preservação da Escola Friedenreich

     
Se o bota-abaixo no complexo do Maracanã não causou comoção, a possível derrubada de uma escola está mobilizando diversos setores da sociedade. Noticiada pelo Estado de S. Paulo, a demolição da Escola Municipal Friedenreich, ao lado do Maracanãzinho, motivou a ONG Meu Rio a elaborar uma carta de apoio aos alunos e professores. O manifesto já teve a adesão de mais de 2.500 pessoas.

No discurso do último dia 25 de outubro, falei sobre esse verdadeiro absurdo (leia a íntegra do discurso). A alegação de que a escola só será derrubada quando outra com as mesmas características for construída é, no mínimo, esdrúxula. O Autódromo de Jacarepaguá, que neste domingo recebeu sua última prova, é um bom exemplo da falta de palavra dos atuais dirigentes.

Na Câmara Municipal tramita um projeto de resolução de minha autoria, que institui o fórum Preserva Rio. A sociedade precisa ter voz ativa nas decisões sobre o futuro da cidade. Passar o trator no patrimônio carioca não pode ser visto como algo irreversível. É preciso debater.

Vale lembrar que não é a primeira vez que a Friedenreich sofre esse tipo de ameaça. Mas agora o cerco está se fechando, e só a pressão da sociedade fará o governo e seus aliados empreiteiros desistirem da ideia.

Ainda há tempo de reverter essa situação, pelo bem da educação da cidade e, também, para mostrar aos governantes que o dinheiro não pode falar mais alto que o bem comum. O Rio é dos cariocas, não das empresas, e muito menos de autoridades autoritárias.

Participe da campanha da ONG Meu Rio clicando neste link.

Nenhum comentário:

Postar um comentário