7 de ago de 2012

Davi contra Golias - Parte II (Gastos de campanha)


Dr. Edison da Creatinina

Deu no Globo desta terça-feira, 7 de agosto. O prefeito candidato já arrecadou catorze vezes mais que a soma de todos os outros candidatos. São R$2,8 milhões, a maior parte doada pelo próprio partido. Os gastos da campanha oficial chegam a mais de R$1 milhão e três quartos desse total são destinados à publicidade.

Outro dado importante são as despesas com pessoal, que somam mais de R$280 mil. Comparado a  outras campanhas, o contraste é evidente. Se o prefeito teve quatro anos para mostrar que merece outro mandato, precisa gastar tanto com publicidade? Estranho...

Essa é a postura do governo atual, que prefere torrar dinheiro para propagandear seus feitos a fazer as coisas funcionarem de fato. Fazer as coisas que têm que ser feitas é o mínimo que se espera de um governante. Quem se esforça em se promover por algo que é sua obrigação fazer não aguenta um olhar mais apurado.

É por isso que sou contra doações de pessoas físicas e jurídicas. Não existe almoço grátis. Quem recebe doação sente-se na obrigação de retribuir. Ou você acha que empresas de ônibus doam para campanhas eleitorais porque amam a cidade? Ligando os fatos e relembrando as nossas misérias descobrimos por que as coisas chegaram a tal ponto no Rio.

É preciso vigiar, amigos.

PS: para quem se interessar, segue o link do TSE da prestação de contas eleitorais parcial:

Nenhum comentário:

Postar um comentário