28 de jul de 2012

Paes não tem Piedade


Foto: Sindsprev/RJ
A situação do Hospital da Piedade continua crítica, mesmo com os apelos dos profissionais da unidade por melhores condições de trabalho. O jornal O Dia deste sábado (28/7) aborda mais uma vez o assunto, afirmando que as cirurgias foram suspensas por causa da falta de equipamentos. Há pouco mais de uma semana, o veículo já chamava a atenção para o drama vivido por médicos e pacientes. Os monitores não funcionam há quatro meses e as macas são de mais de 40 anos atrás.

O que o prefeito está esperando para recuperar o Hospital? Que uma tragédia aconteça? E se ele mesmo precisasse de atendimento na unidade, ficaria satisfeito? Obviamente, Paes jamais será visto por lá, pois dispõe do melhor que o seu rico dinheiro pode pagar. Então, para ele, tanto faz. Enquanto Paes trabalha com planilhas e números, nós trabalhamos com pessoas, com vidas. Por isso, gritamos.

A saúde não é, definitivamente, prioridade da atual administração. Enquanto clínicas "de lata" são abertas, hospitais de referência vão sendo deliberadamente sucateados. Enquanto médicos com vasta experiência são desprezados, recém-formados ganham supersalários nas tais clínicas. Esse absurdo acontece graças ao advento das famigeradas organizações sociais (OSs), que nada mais são que a solução encontrada pelo governo para privatizar a saúde na cidade.

A classe médica, porém, está fazendo barulho e vai resistir o quanto for possível contra esse verdadeiro crime contra o serviço público e para que a população seja atendida. Honramos nossa carreira e, principalmente, a profissão que escolhemos. Como médico nefrologista e servidor, deixo aqui meu total apoio às justas reivindicações dos colegas da Piedade. Meu mandato continuará cobrando respeito da prefeitura. Afinal, o médico vale muito.
Aproveito para convocar a todos para a manifestação A saúde vai à Praia, que acontece neste domingo, a partir das 10 horas, em Copacabana, com concentração em frente ao Copacabana Palace. Compareça, vamos lutar contra a situação calamitosa da Saúde Pública no estado!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário