12 de jan de 2012

Inaugurada na UERJ placa em homenagem à farmacêutica Luciane Faria de Souza Pontes


Placa na nova Sala Multiuso, descerrada por
Marilena Moraes, irmã do Dr. Edison da Creatinina,
que o representou na cerimônia de inauguração
Inaugurada na manhã de quinta-feira, 12 de janeiro, na Sala Multiuso da Policlínica Piquet Carneiro da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ (Av. Marechal Rondon, 381, Maracanã), uma placa com o nome da farmacêutica e doutora em Biologia, Luciane Faria de Souza Pontes, falecida em 2009. A Professora Luciane recebeu essa homenagem póstuma por ter sido grande incentivadora e pelo seu importante desempenho na criação e organização do Programa de Imunogenética e Transplante de Órgãos (PITO), programa de apoio aos procedimentos para a realização de transplantes de órgãos, principalmente rins, nos vários hospitais do Rio de Janeiro, e de medula óssea, no Instituto Nacional do Câncer, INCA.

Luciane teve também destacada participação na criação do REDOME (Registro de Doadores Voluntários de Medula Óssea), na década de 90, e em seguida como responsável técnica pelo Laboratório de Histocompatibilidade (HLA) no Departamento de Histologia e Embriologia da UERJ, sob a coordenação do Professor Luís Cristóvão de Moraes Pôrto. Foi orientadora, pesquisadora e organizadora de inúmeros simpósios do Curso de Especialização em Histocompatibilidade da UERJ, hoje denominado Biologia Molecular Humana.

“Conto rapidamente uma história impressionante”, disse em relato enviado o Dr. Edison da Creatinina, “quando Luciane foi chamada para dar uma palestra sobre HLA nos transplantes, em Niterói, aonde chegou num carro do Rio Transplante, levando sua garrafa de oxigênio, do qual já dependia. Durante a palestra, foi pouco a pouco perdendo a voz e o ar. Acompanhávamos, apreensivos, seu esforço para não parar. Subitamente, o inesperado: a energia do prédio foi cortada e a palestra teve que ser interrompida. Vejo aí a ajuda de seus espíritos protetores; a luz voltou depois de 30 minutos e ela, humilde, pediu licença para concluir a apresentação sentada. Ao final, foi aplaudida de pé. Seus últimos anos foram de verdadeira batalha pela vida”.



Vinculado ao Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes (IBRAG) o Laboratório de Histocompatibilidade (verifica compatibilidade de tecidos para transplantes e reações sero-imunológicas de diagnóstico, como o de Hepatite C, por exemplo) está em expansão, inaugurando novo endereço, onde acaba de ser instalado o primeiro Laboratório de Histocompatibilidade e Criopreservação, que vai dar apoio aos cursos de Pós-graduação e Especialização em Biologia Molecular Humana, Medicina Laboratorial, Tecnologia Forense, Programa de Hepatite Viral da Secretaria de Saúde do Estado e apoio ao Programa Estadual de Transplantes (PET).

Presentes à homenagem na sala Multiuso, o Professor Israel Felzenszwalb, Diretor do Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes, da UERJ, o Professor Adjunto Denizar Vianna Araújo, do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ, a Doutora Deise De Boni Monteiro de Carvalho, Responsável Técnica dos Transplantes do Hospital Federal de Bonsucesso, e a professora Luciana Cavalcanti, Gestora de Acreditação do Instituto Nacional de Metrologia e Tecnologia, Inmetro, todos foram unânimes em declarar o avanço em segurança, qualidade e validação desse novo laboratório e centro de pesquisas inaugurado pela UERJ, financiado pelo Ministério da Saúde. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário