2 de jun de 2011

Dia Mundial sem Tabaco na Câmara do Rio

Uma Assembléia da Organização Mundial de Saúde criou em 1987 o Dia Mundial sem Tabaco e já no ano seguinte uma resolução tornou o dia 31 de maio um marco das campanhas antitabagistas pelo mundo.
Dentre as muitas conquistas que a humanidade obteve no último século, o controle da publicidade do tabaco está entre as mais importantes. As empresas produtoras de cigarros foram responsáveis, só no século passado, pela morte de aproximadamente 100 milhões de pessoas.
Este número que aumenta com uma morte a cada 6 segundos concentra um potencial para causar mais de um bilhão de mortes no planeta ainda neste século.
Dados do Ministério da Saúde indicam que no Brasil, 18,8% da população brasileira é fumante (22,7% são homens e 16% mulheres). O número de adultos fumantes caiu nos últimos vinte anos, mas a batalha maior ainda está por vir já que o número de jovens que começa a fumar cada vez mais cedo aumentou.
Um cigarro contém mais de 4700 substâncias tóxicas cito algumas, ressaltando que, a maioria delas é cancerígena:
Contém ACETONA que é removedor de esmalte
Contém TEREBENTINA que dilui tinta a óleo
Contém FORMOL um conservante de cadáver
Contém AMÔNIA um desinfetante para pisos, azulejos e privadas
Contém NAFTALINA um eficiente mata-baratas
Contém FÓSFORO P4/P6 usado em venenos para ratos
NICOTINA que causa a dependência;
ALCATRÃO material particulado composto por substâncias como arsênico, níquel, benzopireno, capazes de provocar câncer;
MONÓXIDO DE CARBONO o mesmo que sai do cano de descarga do carro;
SUBSTÂNCIAS RADIOATIVAS como polônio 210 e carbono 14;
METAIS PESADOS como o cádmio e o cromo, encontrados em baterias de carro e que alteram as funções do organismo;
AGROTÓXICOS usados no cultivo das folhas de tabaco, como DDT;

OUTROS como substâncias irritantes dos olhos, nariz e garganta que alteram a função dos pulmões, etc.
Dados da OMS dão conta de que no mundo 100 mil crianças começam a fumar a cada dia.
No Brasil 23 pessoas morrem por hora de doenças ligadas ao hábito de fumar.
O positivo é que nós e mais 172 países apoiamos a Convenção que estabelece que o mundo trabalhe para o banimento do tabaco.
Uma pesquisa recente da Aliança de Controle do Tabagismo (ACT) revela que 78% dos brasileiros aprovam a proibição de publicidade do cigarro e 86% aprovam a proibição de publicidade dirigida a jovens.
No entanto, ontem, o Jornal Nacional informava que aqui as indústrias produtoras de cigarros utilizam artifícios cada vez mais convincentes e sedutores como cor, cheiro e até sabores diferentes, como menta e chocolate, que atraem o público jovem viciando cada vez mais nossas crianças. Ora, esses aditivos do cigarro já foram proibidos no Canadá e nos Estados Unidos, que ainda nem ratificou a Convenção.
Na quarta Conferência das Partes, ano passado no Uruguai, a proibição do uso de aditivos foi defendida pelo Brasil, mas este dever de casa ainda não foi feito por aqui (e o Brasil se destaca nas ações de combate ao fumo).
Apesar da pressão da indústria, é preciso fazer o que foi decidido, pois isso diz respeito diretamente aos nossos jovens e eles são o nosso futuro.
O dia de hoje tem sua importância não somente por representar esta luta contra o tabagismo, mas pelo que traz em favor da vida. Quando o Cristo Redentor se acender hoje, vai se colorir de vermelho abraçando a campanha antitabaco.


Nenhum comentário:

Postar um comentário