11 de mai de 2011

Entre o freio e o acelerador


Mais vereadores desistem de carro de R$ 70 mil, e agora Câmara pode gastar pouco menos com veículos

Publicada em 11/05/2011 às 00h02m
Luiz Ernesto Magalhães

RIO - A frota de Jettas a ser adquirida pela Câmara dos Vereadores do Rio encolheu ainda mais na terça-feira. Em meio à polêmica criada pela decisão da Mesa Diretora de comprar o veículo modelo 2012 para uso oficial, a R$ 69.100 a unidade, mais políticos vieram a público afirmar que resolveram abrir mão do mimo. Entre os 51 vereadores, chegam a 11 os que desistiram da mordomia. Além deles, dois não têm direito aos automóveis, por estarem presos: Luiz André Deco , acusado de chefiar uma milícias em Jacarepaguá, e Fausto Alves , suspeito de homicídio. Até terça de manhã, antes das novas desistências, seriam comprados 43 carros, a um custo total de R$ 3,1 milhão, incluindo seguro.
LISTA: Saiba quais são os vereadores que fazem questão de carro oficial no Rio
VOTE: Os vereadores precisam de carro oficial?
GRÁFICO: Os detalhes da nova frota
A ordem de pagamento para a compra dos veículos pela Mesa Diretora, assinada pelo presidente Jorge Felippe (PMDB), por Carlo Caiado (DEM), Dr. Jairinho (PSC) e Patricia Amorim (PSDB), foi divulgada no Diário Oficial da Câmara no dia 3.
- Resta saber agora se o desconto da montadora será mantido, com a redução do número de carros, ou se a Casa pagará mais - disse Andrea Gouvêa Vieira (PSDB), uma das primeiras a recusar o carro.
O vereador Ivanir de Mello (PP) foi um dos que declararam publicamente ontem não querer o veículo oficial:
- Eu nunca poderia concordar com a medida, por uma questão de coerência, mas não condeno quem aceitar o carro. Há 20 anos, quando a ex-presidente da Câmara Regina Gordilho decidiu acabar com a frota, fui favorável. Em março, encaminhei um ofício informando isso à presidência - disse.
Roberto Monteiro (PCdoB), que já dera entrevista afirmando que abria mão do carro, aumentou a lista. A mesma decisão tomaram Dr. Edison da Creatinina (PV) e Reimont (PT).
- Essa decisão onera os cofres públicos e certamente não colabora para melhorar o Legislativo - justificou Edison.
Em nota oficial, a Mesa Diretora argumentou que os vereadores das capitais brasileiras usam carros oficiais como instrumento de trabalho junto à população que representam. . (Leia a íntegra da nota)

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/mat/2011/05/10/mais-vereadores-desistem-de-carro-de-70-mil-agora-camara-pode-gastar-pouco-menos-com-veiculos-924431551.asp#ixzz1M3MsKI88
© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Um comentário:

  1. O Dr. Edison da Creatinina foi um dos primeiros a abrir mão do carro oficial, antes mesmo da Reunião convocada pelo Presidente para discutir a aceitação por cada vereador.

    ResponderExcluir