24 de abr de 2012

Audiência Pública sobre a Rio+20 esclarece pontos importantes sobre o evento

Dr. Edison da Creatinina preside audiência pública na CMRJ
A Comissão Especial da Rio+20, presidida pelo vereador do PV Dr. Edison da Creatinina, realizou  uma audiência pública no Plenário da Câmara  Municipal do Rio de Janeiro na noite de 24 de abril,  com a presença de organizadores da conferência – que reunirá  cerca de 120 chefes de Estado na cidade no período de 20 a 22 de junho deste ano –, para discutir o que é a Rio+20, como afetará a cidade e qual o legado que deixará.
No plenário, estavam o vice-prefeito Carlos Alberto Muniz, o diretor do Centro de Informações da ONU no Brasil, Giancarlo Summa, o Secretário Nacional Adjunto do Comitê Nacional de Organização da Rio+20, Roberto Ardenghy, além dos vereadores que compõem a Comissão na Câmara, Eduardo Moura (PSC) e Rubens Andrade (PSB). Eles debateram com a sociedade civil os aspectos da conferência, que pretende propor ações de defesa do meio ambiente e do desenvolvimento sustentável a serem tomadas pelas nações que integram a ONU.
 Roberto Ardenghy salientou que esta será uma conferência sobre o desenvolvimento sustentável, com discussão sobre ações de combate à pobreza, inclusão social e busca de uma economia verde autossustentável. “A primeira questão que devemos focar é que a economia verde só progredirá se incluir processos que tragam para a sociedade de consumo sustentável países em desenvolvimento”, ressaltou o diplomata, acrescentando que o Brasil e as Nações Unidas precisarão apresentar grande organização nas áreas de segurança, transporte e hotelaria para receber adequadamente os visitantes.
             Segundo ele, 50 mil delegados dos países membros das Nações Unidas, 8 mil jornalistas do mundo todo, professores, pesquisadores da área de meio ambiente e o staff  completo da ONU virão ao Brasil participar da Rio+20. Por sua vez, o vice-prefeito e secretário municipal de Meio Ambiente, Carlos Alberto Muniz, acredita que a Rio+20 se firmará como um grande evento ambiental em nossa cidade. Segundo ele, não podemos ficar descrentes do processo. Não podemos esperar mudanças radicais. A questão ambiental deve ser encarada de uma perspectiva holística, implica na caminhada para mudar padrões de consumo, sair da lógica dos produtores de equipamentos, que faz todos ficarem freneticamente presos à tecnologia, e isso leva tempo, é um processo.
“Precisamos compreender que a solução só virá se integrarmos o homem, suas intervenções no meio ambiente e todos os seres vivos: precisamos ter uma visão holística”, observou Muniz, completando que prefeitos das 40 principais nações do mundo estarão no Rio, no evento C-40. Paralelamente, acontecerá uma conferência com os secretários de meio ambiente de todas as capitais brasileiras no Forte de Copacabana.
Dr. Edison da Creatinina, Roberto Ardenghy, Giancarlo Summa e Carlos Alberto Muniz
Giancarlo Summa ressaltou que nem na Copa do Mundo nem durante as Olimpíadas teremos no Brasil 120 líderes mundiais reunidos. “Esse evento é muito importante, a maior conferência da ONU com chefes de Estado e sociedade civil”, comparou. “O Brasil foi escolhido como sede da conferência porque se tornou referência em desenvolvimento econômico com inclusão social e porque possui uma matriz energética mais limpa, pois usa recursos naturais renováveis”, listou.
A próxima audiência pública da Comissão Especial da Rio+20 será dia 22 de maio, uma terça-feira, para discutir o tema Rio+20 e a Saúde, com presença de representantes da Fiocruz e do Departamento de Vigilância e Saúde do Ministério da Saúde.

Programação da Rio+20:
13 a 15 de maio
Últimas reuniões do Comitê Preparatório, das quais sairá o documento de fundo que será assinado por 193 países.
16 a 19 de maio
O governo brasileiro e a ONU promoverão os Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável – dez temas; entre eles, Floresta, Biodiversidade e Combate à Pobreza
20 a 22 de maio
Reunião dos principais líderes mundiais no Centro de Convenções do Rio Centro, na Barra, com acesso restrito às delegações. A população poderá acompanhar as discussões por um telão que será instalado na casa de espetáculos HSBC Arena, na Barra.
13 a 19 de junho  

Parque dos Atletas – Exposição de trabalhos sobre desenvolvimento sustentável – participação de 50 países (evento aberto ao público).
Píer Mauá – Apresentação de trabalhos de tecnologia, educação e desenvolvimento sustentável.
MAM – Parque do Flamengo – Exposições e apresentação de trabalhos de agricultura familiar.
Vivo Rio – Cúpula dos Povos – Local de debate da sociedade civil organizada. 

texto: Bernadete Travassos

Nenhum comentário:

Postar um comentário